quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Causa Mortis Stultorum

Nascera no fim do ano de 1922, por sorte seu nome nem era Gertrudes, Etelvina ou Mercedes, como era moda na epoca, mas simplesmente Gertha, pois seu pai odiava a Alemanha, quem pode entender, era muito velha e queria morrer.
Morando em apartamento, resolveu tomar soniferos e ligar o gas. Sem pagar o gas, gas cortado, ligou a valvula e foi dormir. Acordou viva, a companhia de gas cortou e salvou sua vida sem o saber.
Enfurecida, tentou tomar veneno. Comprou o dose mortal, bebeu de um so gole e resolveu ajudar a natureza com uma boa dose de vodca polonesa que guardava no armario para passar em contusoes e ferimentos. Tomou e deitou, e desacostumada com o alcool, vomitou a vodca e o veneno.
Exasperada, tentou parar de respirar tapando as narinas e pulando na frente de um carro, cujo motorista desviou e ofendeu sua progenitora.
Levada ao hospital, foi medicada, receitou-se antidepressivos e vitaminas.
Um mes depois, ja quase refeita, ao ler o rotulo de um medicamento, horrorizada, percebeu que estava vencido, e o instinto de sobrevivencia falou mais alto. Desesperada, vestiu-se e correu para ir ao medico, mas tropecou no tapete, rolou da escada e sufocou com a dentadura na garganta, atingindo seu objetivo com um certo atraso.
A policia escreveu a causa mortis que veio a ser "Sorriso Interior".

2 comentários:

  1. Muito boa essa crônica.
    Vamos todos morrer de sorriso interior...Mas que seja em 2065...

    ResponderExcluir